A LEPRA DE GIEZI


  • O próspero rei Uzias torna-se leproso
  • O chefe do exército da Assíria vem para Israel para ser curado
  • Eliseu mantém distância da riqueza de Naamã
  • A lepra de Naamã passa para Giezi



Era Uzias da idade de dezesseis anos quando começou a reinar e cinquenta e cinco anos reinou em Jerusalém; e era o nome de sua mãe Jecolias, de Jerusalém.

(2Crônicas 26:3)


Foi ele quem reedificou Elat e fez voltar essa cidade ao domínio de Judá...

(2Crônicas 26:2a)


E fez o que era reto aos olhos do Senhor, conforme tudo o que fizera Amazias seu pai.
Porque deu-se a buscar a Deus nos dias de Zacarias, sábio nas visões de Deus; e, nos dias em que buscou o Senhor, Deus o fez prosperar.
Porque saiu, e guerreou contra os filisteus, e quebrou o muro de Gate, e o muro de Jabné, e o muro de Asdode, e edificou cidades em Asdode e entre os filisteus.
Deus o ajudou contra os filisteus, contra os árabes de Gurbaal, e contra os maonitas.
Os amonitas lhe pagaram tributo, e sua fama se fortificou de tal modo, que se estendeu até os confins do Egito.
Também Uzias edificou torre em Jerusalém, à Porta da Esquina, à Porta do Vale e aos ângulos e as fortificou.
Construiu também torres no deserto, onde cavou numerosos poços, pois possuía ali numerosos rebanhos, tanto na planície como no planalto. Tinha lavradores e vinhateiros nas montanhas e nos pomares, porque se interessava pela agricultura.
Tinha também Uzias um exército de homens destros nas armas, que saíam à guerra, em tropas, segundo o número da lista feita por mão de Jeiel, chanceler, e Maaséias, oficial, debaixo das mãos de Hananias, um dos príncipes do rei.
O número total dos chefes de família, guerreiros valentes, era de dois mil e seiscentos.
O exército que comandavam era de trezentos e sete mil e quinhentos homens que faziam a guerra com valor suficiente para ajudar o rei contra o inimigo.
E preparou-lhes Uzias, para todo o exército, escudos, e lanças, e capacetes, e couraças, e arcos, e até fundas para atirar pedras.
Mandou construir em Jerusalém, pelos cuidados de um engenheiro, máquinas para serem colocadas nas torres e nos ângulos das muralhas, que atiravam flechas e grandes pedras. Sua fama se estendeu ao longe, pois Deus fez maravilhas para ajudá-lo a adquirir um grande poder.
Mas, havendo-se já fortificado, exaltou-se o seu coração, até se corromper; e transgrediu contra o Senhor, seu Deus, porque entrou no Templo do Senhor para queimar incenso no altar do incenso.
Logo após ele entrou o pontífice Azarias, e com ele oitenta sacerdotes do Senhor, homens corajosos,
opuseram-se ao rei e disseram: “A ti Uzias, não compete queimar incenso perante o Senhor, mas aos sacerdotes, filhos de Arão, que são consagrados para queimar incenso; sai do santuário, porque transgrediste; e não será isso para honra tua da parte do Senhor Deus.”
Então, Uzias se indignou e tinha o incensário na sua mão para queimar incenso; indignando-se ele, pois, contra os sacerdotes, a lepra lhe saiu à testa perante os sacerdotes, na Casa do Senhor, junto ao altar do incenso.
Tendo o pontífice Azarias e todos os outros sacerdotes posto os olhos nele, viram a lepra na sua fronte e sem mais demora o lançaram fora. Ele mesmo cheio de medo, apressou-se a sair, porque tinha sentido logo a praga com que o Senhor o tinha ferido.
Assim ficou leproso o rei Uzias até ao dia da sua morte; e morou, por se leproso, numa casa separada, porque foi excluído da Casa do Senhor; e Jotão, seu filho tinha a seu cargo a casa do rei, julgando o povo da terra.

(2Crônicas 26:4-21)


E dormiu Uzias com seus pais, e o sepultaram com seus pais no campo do sepulcro que era dos reis, porque disseram: “Leproso é.” E Jotão, seu filho, reinou em seu lugar.

(2Crônicas 26:23)



O PROFETA ELISEU, SUCESSOR DE ELIAS CURA NAAMÃ




E Naamã, chefe do exército do rei da Síria, era um grande homem diante do seu senhor e de muito respeito; porque ele o Senhor dera livramento aos siros; e era este varão homem valoroso, porém leproso.
Ora, tendo os sírios feito uma incursão no território de Israel levaram presa uma menina, que ficou ao serviço da mulher de Naamã.
E disse esta à sua senhora: "Prouvera a Deus que o meu senhor tivesse ido ter com o profeta que está em Samaria; sem dúvida ele o teria curado da lepra que padece."
Ouvindo isso, Naamã foi e contou ao seu soberano o que dissera a jovem israelita.
Então, disse o rei da Síria: "Vai, anda, e enviarei uma carta ao rei de Israel." E foi e tomou na sua mão dez talentos de prata, e seis mil siclos de ouro, e dez mudas de veste.
Levou ao rei de Israel uma carta concebida nestes termos: "Ao receberes esta carta, saberás que te mando Naamã meu servo, para que o cures da lepra."
O rei de Israel, tendo lido a carta rasgou os seus vestidos e disse: "Porventura sou eu Deus, que possa tirar e dar a vida, para que este me mande dizer que cure eu um homem da lepra? Adverti e vereis que ele anda buscando pretextos contra mim."
Sucedeu, porém, que, ouvindo Eliseu, homem de Deus, que o rei de Israel rasgara as suas vestes, mandou dizer ao rei: "Por que rasgaste as tuas vestes? Deixa-o vir a mim, e saberá que há profeta em Israel."
Naamã veio com seu carro e seus cavalos e parou à porta de Eliseu.
Eliseu enviou-lhe um mensageiro, dizendo: "Vai, lava-te sete vezes no Jordão, e a tua carne será curada e ficarás limpo."
Naamã se foi, despeitado, dizendo: "Eu julgava que ele sairia a receber-me, e que, posto em pé, invocaria o Nome do Senhor, Seu Deus, e que me tocaria com a sua mão o lugar da lepra, e que me curaria.
Porventura Abama e Farfar, rios de Damasco, não são melhores do que todas as águas de Israel, para eu me lavar nelas e ficar limpo?" Como ele, pois, voltasse e se retirasse enfadado,
seus servos se aproximaram e disseram: "Senhor, se o profeta lhe tivesse mandado fazer alguma coisa difícil, o senhor não faria? No entanto ele só mandou isto: Lava-te e ficarás limpo."
Então, desceu e mergulhou no Jordão sete vezes, conforme a palavra do homem de Deus e a sua carne tornou, como a carne de um menino, e ficou purificado.
Voltando para o homem de Deus com toda a sua comitiva, foi, apresentou-se diante dele e disse: "Verdadeiramente conheço que não há outro Deus em toda a Terra, senão o que há em Israel. Rogo-te, pois, que recebas do teu servo alguma oferta."
Mas ele respondeu: "Viva o Senhor, em cuja presença estou, que não a aceitarei." Naamã insistiu para que ele aceitasse, mas ele recusou.

Então Naamã disse: "Se não o aceitas, permite ao menos que se dê ao teu servo da terra deste país, tanto quanto possam carregar duas mulas, porque doravante este teu servo não oferecerá mais holocausto nem sacrifício a outros deuses, mas só ao Senhor.
Mas uma coisa há somente pela qual hás de rogar ao Senhor pelo teu servo, e é que, quando o meu senhor entrar no templo de Remon, para adorar, apoiando-se na minha mão, se eu me prostrar no templo de Remon, enquanto ele adora no mesmo lugar, que o Senhor me perdoe esta coisa a mim, teu servo."
Eliseu disse: "Vá em paz." E Naamã o deixou.
Naamã estava já a certa distância, quando Giezi, servo de Eliseu, disse consigo: "Eis que meu amo poupou a esse sírio, Naamã, recusando aceitar de sua mão o que ele tinha trazido. Pela vida de Deus! Vou correr atrás dele, e obterei dele alguma coisa."
E Giezi foi ao alcance de Naamã, o qual, vendo-o correr, desceu do carro e veio-lhe ao encontro. E disse-lhe: "Tudo vai bem?"
E ele disse: "Tudo vai bem; meu senhor me mandou dizer: Eis que agora mesmo vieram a mim dois jovens dos filhos dos profetas da montanha de Efraim; dá-lhes, pois, um talento de prata e duas mudas de vestes."
Naamã respondeu: "É melhor que leves dois talentos." E obrigou-o a isso. Atou os dois talentos de prata e os dois vestidos em dois sacos e carregou com eles dois dos seus servos, que os levaram diante de Giezi.
Chegando a Ofel, Giezi pegou os presentes, guardou-os em casa, despediu os homens, e eles foram embora.
Tendo entrado, apresentou-se diante do seu senhor, Eliseu disse-lhe: "Donde vens, Giezi?" Ele respondeu-lhe: "Teu servo não foi a parte alguma."
Mas Eliseu disse: "Não estava eu presente em espírito, quando aquele homem desceu do carro ao teu encontro? Tu agora, pois, recebeste prata, recebeste vestidos, para comprares olivais, vinhas, ovelhas, bois, servos e servas.
A lepra de Naamã se pegará a ti e a toda a tua descendência para sempre." E Giezi saiu da presença de Eliseu coberto de uma lepra branca como a neve.

(2Reis 5)


Tesouros adquiridos pela mentira: vaidade passageira para os que procuram a morte.

(Provérbios 21:6) Salomão



Nascer do Espírito >>
Menu
Menu Principal
<< O Surdo Mudo

^