AMARGURA


  • A Palavra de Deus será pregada no mundo inteiro antes do fim
  • A mensagem amarga
  • O sofrimento de todas as classes sociais
  • A Terra será reduzida a um deserto



E ao sair Jesus do Templo, disse-lhe um de seus discípulos: "Olha, Mestre, que pedras, e que construção!"
Respondeu-lhe Jesus: "Vês todas essas grandes construções? Não ficará pedra sobre pedra, que não seja derrubada."
E, estando sentado no monte das Oliveiras, em frente ao Templo, Pedro, Tiago e João perguntaram-lhe em particular:
"Dize-nos quando sucederão estas coisas? E que sinal haverá, quando tudo isto estiver para se cumprir?"
Então respondendo a isto, começou Jesus a dizer-lhes: "Cuidai que ninguém vos engane.
Porque muitos virão em MEU NOME, dizendo: Eu sou o Cristo; e enganarão a muitos.

(Marcos 13:1-6)


... e o NOME pelo qual se chama é a PALAVRA DE DEUS.

(Apocalipse 19:13b)


Quando ouvirdes falar de guerras e de rumores de guerra, não temais; porque é necessário que estas coisas aconteçam, mas não será ainda o fim.
Realmente, levantar-se-á nação contra nação, e reino contra reino. Haverá terremotos em muitos lugares; haverá carestias. Isso tudo, porém será apenas o início das dores.
Tende cuidado de vós mesmos! Porque hão de entregar-vos a tribunais, e nas sinagogas sereis flagelados; e sereis apresentados ante governadores e reis, por amor de mim, para lhes servir de testemunho.
Porém, é preciso, antes, que o Evangelho seja pregado a todas as nações."

(Marcos 13:7-10)


E vi outro anjo forte, que descia do céu, vestido de uma nuvem; e por cima da sua cabeça estava o arco celeste, e o rosto era como o sol, e os pés, como colunas de fogo;
e tinha um Livrinho aberto e pôs o pé direito sobre o mar e o esquerdo sobre a terra;
e clamou com grande voz, como quando brama o leão; e, havendo clamado, os sete trovões fizeram soar as suas vozes.
Depois que os trovões fizeram ouvir as suas vozes, eu dispunha-me a escrevê-las, mas ouvi uma voz do céu que dizia: "Sela as Palavras dos sete trovões e não as escrevas."
Então, o anjo que eu tinha visto de pé sobre o mar e sobre a terra, levantou a mão direita ao céu
e jurou por aquele que vive pelos séculos dos séculos, que criou o céu e tudo o que nele há, a terra e tudo o que nela há, que não haveria mais tempo,
mas nos dias da voz do sétimo anjo, quando tocar a sua trombeta, se cumprirá o segredo de Deus, como anunciou aos profetas seus servos.
E a voz que eu do céu tinha ouvido tornou a falar comigo e disse: "Vai e toma o Livrinho aberto da mão do anjo que está em pé sobre o mar e sobre a terra.
E fui ao anjo, dizendo-lhe: "Dá-me o Livrinho." E ele disse-me: "Toma-o e come-o, e ele fará amargo o teu ventre, mas na tua boca será doce como mel."
E tomei o Livrinho da mão do anjo e comi-o; e na minha boca era doce como mel; e, havendo-o comido, o meu ventre ficou amargo.
E disse-me: "É necessário que ainda profetizes a muitas nações, povos línguas e reis."

(Apocalipse 10:1-11)


"... aos povos, apóstatas, que se apartaram de mim; eles e seus pais têm violado o Meu Pacto até ao dia de hoje.
Aqueles a quem eu te envio são filhos de semblante duro e de coração indomável. Tu lhes dirás: Isto diz o Senhor Deus.
Eles podem escutar ou não, porque eles são uma casa de rebeldes. De qualquer modo, hão de saber que esteve no meio deles um profeta.
E tu, ó filho do homem, não os temas, nem temas as suas palavras; ainda que sejam sarças e espinhos para contigo, e tu habites com escorpiões, não temas as suas palavras, nem te assustes com o rosto deles, porque são casa rebelde.
Mas tu lhes dirás as Minhas Palavras, quer ouçam quer deixem de ouvir, pois são rebeldes.
Mas tu, ó filho do homem, ouve o que eu te digo, não sejas rebelde como a casa rebelde; abre a boca e come o que eu te dou."
Olhei e vi avançando para mim uma mão, que segurava um manuscrito enrolado.
E estendeu-o diante de mim, e ele estava escrito por dentro e por fora; e nele se achavam escritas lamentações, canções lúgubres e maldições.

(Ezequiel 2:3b-10)


Eis o que diz o Senhor dos Exércitos: Tratai de chamar as carpideiras para que venham. E que venham as mais hábeis e não tardem,
que comecem logo e cantem sobre nós uma lamentação. Nossos olhos derramem lágrimas e nossas pálpebras despejem água.
Pois que seu canto fúnebre se elevou em Sião: Por que fomos assim devastados? Cheios de vergonha devemos abandonar a terra, já que foram derrubadas nossas casas.
Ouvi, pois, vós, mulheres, a Palavra do Senhor; e os vossos ouvidos recebam a Palavra da sua boca; e ensinai o pranto a vossas filhas, e cada uma, à sua companheira, a lamentação.
A morte subiu pelas nossas janelas e entrou em nossos palácios; matou as crianças nas ruas e os jovens nas praças.
Os cadáveres humanos vão caindo como esterco que se joga no chão e como feixes de trigo atrás daquele que está colhendo, sem haver quem os recolha.

(Jeremias 9:17-22)


... entoe uma lamentação lá no alto dos montes, porque Javé rejeitou e abandonou a geração que incendiou a ira dele.

(Jeremias 7:29b)


Naquele dia acontecerá, diz o Senhor Deus, que o sol se porá ao meio dia e farei cobrir a Terra de trevas na maior luz do dia.
Converterei as vossas festas em luto os vossos cânticos em pranto; porei sobre todas as vossas costas saco e tornarei calvas todas as vossas cabeças; porei o país num pranto desfeito, como que se faz por um filho único, e farei que o seu fim seja um dia de amargura.

(Amós 8:9-10)


Tu os sustentas com pão de lágrimas e lhes dá a beber lágrimas em abundância.

(Salmos 79:6(80:5)


... farei silenciarem os gritos de alegria e os cantos de júbilo, cantos do esposo e vozes da esposa, porquanto a Terra está reduzida a um deserto.

(Jeremias 7:34b)


Nossos pais pecaram, e já não existem; e nós temos levado o castigo das suas iniquidades.
Um povo de escravos domina sobre nós. Ninguém nos arrebata de suas mãos.
Arriscamos a própria vida pelo pão, enfrentando em campo aberto a espada inimiga.
A nossa pele queima-se como um forno, por causa dos ardores da fome.
Forçaram as mulheres em Sião; as virgens, nas cidades de Judá.
Os príncipes foram enforcados pelas mãos deles; as faces dos velhos não foram reverenciadas.
Forçaram os jovens a girar o moinho, os rapazes sucumbiram sob o peso da lenha.
Os anciãos já não participam do Conselho e os jovens deixaram seus instrumentos de corda.
Extinguiu-se a alegria do nosso coração; converteu-se em luto o nosso canto.
Caiu a coroa da nossa cabeça: Ai de nós porque pecamos!
Amargurou-se-nos o nosso coração, se escureceram os nossos olhos.

(Lamentações 5:7-17) Jeremias


Portanto, lhes dirás esta Palavra: Os meus olhos derramem lágrimas de noite e de dia e não cessem porque a virgem, filha do meu povo, está ferida de grande ferida, de chaga mui dolorosa.
Se eu saio ao campo, eis aqui os mortos à espada; e, se entro na cidade, estão ali os debilitados pela fome; até o profeta e sacerdote perambulam sem rumo pela Terra.

(Jeremias 14:17-18)


Portanto, assim diz o Senhor, Deus dos Exércitos, o Senhor: Em todas as ruas haverá pranto, e em todos os bairros: Ai! Ai! E ao lavrador chamarão para choro e para pranto os que souberem prantear.
E em todas as vinhas haverá pranto; porque passarei pelo meio de ti, diz o Senhor.

(Amós 5:16-17)


Aquilo que o gafanhoto cortador deixou, o gafanhoto destruidor comeu; aquilo que o destruidor deixou, o gafanhoto saltador comeu; aquilo que o saltador deixou, o gafanhoto descascador comeu.
Despertai, ó ébrios, chorai e uivai todos os que pondes as vossas delícias em beber vinho, porque ele foi tirado da vossa boca.
Porque um povo forte e inumerável veio sobre a minha terra; seus dentes são dentes de leão, e tem mandíbulas de leoa.
Devastou o meu vinhedo, destruiu minha figueira; descascou-a completamente, lançou-a por terra e seus ramos tornaram-se brancos.
Chora, como uma jovem esposa vestida de saco chora a morte do esposo, que tomou na sua idade florida.

(Joel 1:4-8)


... destruíram minha vinha, e pisaram minhas terras, transformando em horrível deserto minha encantadora propriedade.
Tornaram-na uma solidão e apresentaram-na a meus olhos enlutada e devastada. Desolada ficou a Terra, pois que ninguém mais a toma a peito.
De todos os cantos do deserto surgem os devastadores. A espada do Senhor dizima a Terra inteira, não há paz para nenhum vivente.
Semearam trigo, e só colheram espinhos, fatigando-se inutilmente. Foi-lhe decepcionante a colheita, por causa do ardor da ira do Senhor.

(Jeremias 12:10b-13)


A minha dor é sobre toda a dor, o meu coração está angustiado dentro de mim.
A voz amargurada da filha do meu povo: "Não está mais o Senhor em Sião? E nela não mora mais o seu rei?" "Por que me provocaram a ira com as suas imagens de escultura com vaidades estranhas?"
O tempo da ceifa passou, o estio findou, e nós não fomos salvos.
Faz-me sofrer a chaga da filha do meu povo, cobre-me o luto; apossa-se de mim a desolação.

(Jeremias 8:18-21)


Já se consumiram os seus olhos com lágrimas, turbada está a minha alma, o meu coração se derramou pela terra, por causa do quebrantamento da filha do meu povo; pois desfaleceram os meninos e as crianças de peito pelas ruas da cidade.
Dizem a suas mães: "Onde há trigo e vinho?" Quando desfalecem como o ferido pelas ruas da cidade, derramando-se a alma no regaço de suas mães.

(Lamentações 2:11-12) Jeremias


Dois males são os que te sobrevieram; quem se condoerá de ti? A desolação e o extermínio, a fome e a espada; quem te consolará?
Já os teus filhos desmaiaram, jazem nas estradas de todos os caminhos, como o antílope na rede; cheios estão do furor do Senhor e da repreensão do teu Deus.

(Isaías 51:19-20)


Oh! Tivesse eu em minha cabeça um manancial, e em meus olhos uma fonte de lágrimas! Dia e noite eu choraria os mortos da filha de meu povo.

(Jeremias 8:23(9:1)


Todos os nossos inimigos abriram contra nós a sua boca.
A profecia converteu-se para nós em terror, e em laço e ruína.
Os meus olhos derramaram rios de lágrimas, vendo a ruína da filha do meu povo.
Os meus olhos afligiram-se em pranto contínuo, porque não há descanso.

(Lamentações 3:46-49) Jeremias


Fartou-me de amarguras, saciou-me de absinto.

(Lamentações 3:15) Jeremias



O Castigo é Inevitável >>
Menu
Menu Principal
<< Raquel chora seus Filhos

^