AS SOLENIDADES DO SENHOR


  • O Sábado
  • A Páscoa
  • As Primícias
  • O Pentecostes
  • O Dia da Expiação
  • A Festa dos Tabernáculos
  • Os Repatriados que retornaram do exílio da
    Babilônia celebram a Festa dos Tabernáculos
  • Jesus na Festa dos Tabernáculos
  • A Festa da Dedicação, instituída por Judas Macabeu
  • Jesus na Festa da Dedicação



Depois, falou o Senhor a Moisés, dizendo:
"Fala aos filhos de israel e dize-lhes: Estas são as festas do Senhor, que vos chamareis santas.




O SÁBADO (Shabat)



Trabalhareis seis dias, mas no sétimo dia, Sábado, dia de repouso, haverá uma santa assembléia. Nele não fareis trabalho algum. É repouso consagrado ao Senhor, em todos os lugares em que habitardes.

(Levítico 23:1-3)


Guardarás o Dia do Sábado e o santificarás, como te ordenou o Senhor, teu Deus.

(Deuteronômio 5:12)



A PÁSCOA (Pêssach)



E Moisés disse ao povo: "Lembrai-vos deste dia, em que saístes do Egito, da casa da servidão; pois com mão forte o Senhor vos tirou daqui; portanto não se comerá pão levedado.
Hoje, no mês de abibe, vós saís.
Quando o Senhor te houver introduzido na terra dos cananeus, dos heteus, dos amorreus, dos heveus e dos jebuseus, que ele jurou a teus pais que te daria, terra que mana leite e mel, guardarás este culto neste mês.
Sete dias comerás pães ázimos, e ao sétimo dia haverá uma festa ao Senhor.
Sete dias se comerão pães ázimos, e o levedado não se verá contigo, nem ainda fermento será visto em todos os teus termos.
Naquele dia contarás a teu filho, dizendo: Isto é por causa do que o Senhor me fez, quando eu saí do Egito;
e te será por sinal sobre tua mão e por memorial entre teus olhos, para que a Lei do Senhor esteja em tua boca; porquanto com mão forte o Senhor te tirou do Egito.
Portanto guardarás este estatuto a seu tempo, de ano em ano."

(Êxodo 13:3-10)


Estas são as Solenidades do Senhor, as santas convocações, que convocareis no seu tempo determinado.
No mês primeiro, aos quatorze do mês, pela tarde, é a Páscoa do Senhor;
E no décimo quinto dia desse mês, realizar-se-á a Festa dos Pães sem Fermento em honra do Senhor; comereis pães sem fermento durante sete dias.
O primeiro dia será para vós soleníssimo e santo; não fareis nele obra alguma servil.

(Levítico 23:4-7)


... o sétimo será, porém, mais solene e mais santo; não fareis nele obra alguma servil."

(Levítico 23:8b)


No primeiro mês, aos catorze dias do mês, é a Páscoa do Senhor.
E aos quinze dias do mesmo mês haverá festa; por sete dias se comerão pães ázimos.
No primeiro dia haverá santa convocação; nenhum trabalho servil fareis;

(Números 28:16-18)


Nela não comerás pão levedado; por sete dias comerás pães ázimos, pão de aflição (porquanto apressadamente saíste da terra do Egito), para que te lembres do dia da tua saída da terra do Egito, todos os dias da tua vida.
O fermento não aparecerá contigo por sete dias em todos os teus termos; também da carne que sacrificares à tarde, no primeiro dia, nada ficará até pela manhã.
Não poderás sacrificar a Páscoa em qualquer uma das tuas cidades que o Senhor teu Deus te dá,
mas no lugar que o Senhor teu Deus escolher para ali fazer habitar o Seu Nome; ali sacrificarás a Páscoa à tarde, ao pôr do sol, ao tempo determinado da tua saída do Egito.
Então a cozerás, e comerás no lugar que o Senhor teu Deus escolher; depois, pela manhã, voltarás e irás às tuas tendas.
Seis dias comerás pães ázimos, e no sétimo dia haverá assembléia solene ao Senhor teu Deus; nele nenhum trabalho farás.
Sete semanas contarás; desde o dia em que começares a meter a foice na seara, começarás a contar as sete semanas.
Depois celebrarás a Festa das Semanas ao Senhor teu Deus segundo a medida da oferta voluntária da tua mão, que darás conforme o Senhor teu Deus te houver abençoado.
E te regozijarás perante o Senhor teu Deus, tu, teu filho e tua filha, teu servo e tua serva, o levita que está dentro das tuas portas, o peregrino, o órfão e a viúva que estão no meio de ti, no lugar que o Senhor teu Deus escolher para ali fazer habitar o Seu Nome.
Também te lembrarás de que foste servo no Egito, e guardarás estes estatutos, e os cumpriras.

(Deuteronômio 16:3-12)


Então, Miriã, a profetisa, a irmã de Arão, tomou o tamboril na sua mão, e todas as mulheres saíram atrás dela com tamboris e com danças.
E Miriã lhes respondia: "Cantai ao Senhor, porque sumamente se exaltou e lançou no mar o cavalo com o seu cavaleiro."

(Êxodo 15:20-21)


Guarda o mês de abibe, e celebra a Páscoa ao Senhor teu Deus; porque no mês de abibe, de noite, o Senhor teu Deus tirou-te do Egito.

(Deuteronômio 16:1)


A Festa dos Pães Asmos guardarás; sete dias comerás pães asmos, como te tenho ordenado, ao tempo apontado no mês de abibe; porque nele saíste do Egito; ninguém aparecerá vazio perante mim;
e a Festa da Sega dos primeiros frutos do teu trabalho que houveres semeado no campo...

(Êxodo 23:15-16a)



AS PRIMÍCIAS - FESTA DA SEGA



E falou o Senhor a Moisés, dizendo:
"Quando tiverdes entrado na terra que vos hei de dar, e fizerdes a ceifa, trareis ao sacerdote um molho de espigas como primícias de vossa ceifa.
Ele ao outro dia depois do Sábado, elevará um molho diante do Senhor, para que lhe seja aceito em vosso favor, e o santificará.
E no mesmo dia em que o molho for consagrado, imolar-se-á um cordeiro de um ano, sem defeito, em holocausto ao Senhor.
E com ele se oferecerão as libações, duas dízimas de flor de farinha borifada com azeite, para ser queimada ao Senhor em cheiro suavíssimo; e para libações de vinho, a quarta parte de um hin.
Não comereis nem pão, nem grão torrado, nem espigas frescas até o dia em que levardes a oferta ao Vosso Deus. Esta é uma Lei perpétua para vossos descendentes, em todos os lugares em que habitardes.

(Levítico 23:9-14)


E no sétimo dia tereis santa convocação; nenhum trabalho servil fareis. Semelhantemente tereis santa convocação no dia das primícias, quando fizerdes ao Senhor oferta nova de cereais na vossa Festa de Semanas; nenhum trabalho servil fareis.

(Números 28:25-26)



O PENTECOSTES (Shavuot)



Vós, pois, desde o dia depois do Sábado, no qual oferecestes o molho das primícias, contareis sete semanas completas.
Até ao dia seguinte ao sétimo Sábado, contareis cinquenta dias...

(Levítico 23:15-16a)


Nesse mesmo dia anunciareis a festa e convocareis uma santa assembléia; não fareis trabalho algum servil. Esta é uma Lei Perpétua para vossos descendentes, em qualquer lugar onde habitardes.
E, quando segardes a sega da vossa terra, não acabarás de segar os cantos do teu campo, nem colherás as espigas da tua sega; para o pobre e para o estrangeiro as deixarás. Eu sou o Senhor Vosso Deus."



A FESTA DAS TROMBETAS - PRIMEIRO DIA DO ANO NOVO (Rosh Hashaná)



E falou o Senhor a Moisés, dizendo:
"No sétimo mês, no primeiro dia do mês, haverá para vós um dia de repouso, solenidade que publicareis ao som da trombeta, uma santa assembléia.
Não fareis trabalho algum servil..."

(Levítico 23:21-25a)


No sétimo mês, no primeiro dia do mês, tereis uma santa convocação; nenhum trabalho servil fareis; será para vós dia de sonido de trombetas.

(Números 29:1)



O DIA DA EXPIAÇÃO (Yom Kipur)



Também no dia dez deste sétimo mês tereis santa convocação, e afligireis as vossas almas; nenhum trabalho fareis.

(Números 29:7)


Falou mais o Senhor a Moisés, dizendo:
"No décimo dia do sétimo mês será o dia das Expiações. Tereis uma santa assembléia: humilhareis vossas almas e oferecereis ao Senhor sacrifícios queimados pelo fogo.
E, naquele mesmo dia, nenhuma obra fareis, porque é o Dia da Expiação, para fazer expiação por vós perante o Senhor, Vosso Deus.
Todo aquele que se não humilhar nesse dia será cortado do meio de seu povo.
E todo o que fizer nesse dia trabalho qualquer, eu o suprimirei do meio de seu povo.

Não fareis, pois, trabalho algum; esta é uma Lei Perpétua para vossos descendentes, em todos os lugares em que habitardes.
Será para vós um Sábado, um dia de repouso, e humilhareis vossas almas. No nono dia do mês, à tarde observareis um Sábado, de uma tarde à tarde seguinte."

(Levítico 23:26-32)



A FESTA DOS TABERNÁCULOS - FESTA DA COLHEITA (Sucot)



Três vezes no ano me celebrareis festa.
A Festa dos Pães Asmos guardarás; sete dias comerás pães asmos, como te tenho ordenado, ao tempo apontado no mês de abibe; porque nele saíste do Egito; ninguém aparecerá vazio perante mim;
e a Festa da Sega dos primeiros frutos do teu trabalho, que houveres semeado no campo, e a Festa da Colheita à saída do ano, quando tiveres colhido do campo o teu trabalho.

(Êxodo 23:14-16)


A Festa dos Tabernáculos celebrarás por sete dias, quando tiveres colhido da tua eira e do teu lagar.
E na tua festa te regozijarás, tu, teu filho e tua filha, teu servo e tua serva, e o levita, o peregrino, o órfão e a viúva que estão dentro das tuas portas.
sete dias celebrarás a festa ao Senhor teu Deus, no lugar que o senhor escolher; porque o Senhor teu Deus te há de abençoar em toda a tua colheita, e em todo trabalho das tuas mãos; pelo que estarás de todo alegre.

(Deuteronômio 16:13-15)


E falou o Senhor a Moisés, dizendo:
"Dize aos filhos de Israel: Desde o dia quinze deste sétimo mês, serão as Festas dos Tabernáculos durante sete dias em honra do Senhor.
O primeiro dia será chamado soleníssimo e santíssimo; não fareis nele trabalho algum servil.
Durante sete dias oferecereis holocaustos ao Senhor; o dia oitavo será também soleníssimo e santíssimo e oferecereis um holocausto ao Senhor, porque é dia de reunião e de assembléia; não fareis nele obra alguma servil.
Estas são as Festas do Senhor, que chamareis soleníssimas e santíssimas, e nelas oferecereis ao Senhor oblações, holocaustos e libações, conforme o rito de cada dia,
independentemente dos Sábados do Senhor, das vossas ofertas e do que oferecerdes por voto, ou voluntariamente derdes ao Senhor.
Desde o dia quinze, pois, do sétimo mês, quando tiverdes colhido todos os frutos da vossa terra, celebrareis as Festas do Senhor durante sete dias; o primeiro dia e o oitavo será o Sábado, isto é, o descanso.
E, ao primeiro dia, tomareis para vós ramos de formosas árvores, ramos de palmas, ramos de árvores espessas e salgueiros de ribeiras; e vos alegrareis perante o Senhor, Vosso Deus, por sete dias.
Cada ano celebrareis esta festa durante sete dias em honra do Senhor. Esta é uma Lei Perpétua para vossos descendentes. Celebrá-la-eis no sétimo mês.
Sete dias habitareis debaixo de tendas; todos os naturais em Israel habitarão em tendas;
para que saibam as vossa gerações que eu fiz habitar os filhos de Israel em tendas, quando os tirei da terra do Egito. Eu sou o Senhor, Vosso Deus!"
Foi assim que Moisés falou aos israelitas, prescrevendo-lhes as Festas do Senhor.

(Levítico 23:33-44)


Semelhantemente, aos quinze dias deste sétimo mês tereis santa convocação; nenhum trabalho servil fareis; mas por sete dias celebrareis festa ao Senhor.

(Números 29:12)


No oitavo dia tereis assembléia solene; nenhum trabalho servil fareis;

(Números 29:35)


Três vezes no ano todos os teus homens aparecerão perante o Senhor teu Deus, no lugar que ele escolher: na Festa dos Pães Ázimos, na Festa das Semanas, e na Festa dos Tabernáculos. Não aparecerão vazios perante o Senhor;
cada qual oferecerá conforme puder, conforme a bênção que o Senhor teu Deus lhe houver dado.

(Deuteronômio 16:16-17)



OS REPATRIADOS QUE RETORNARAM DO EXÍLIO DA BABILÔNIA CELEBRAM A FESTA DOS TABERNÁCULOS




E chegado o sétimo mês, estando os filhos de Israel nas suas cidades, todo o povo se ajuntou como um só homem, na praça, diante da Porta das Águas; e disseram a Esdras, o escriba, que trouxesse o Livro da Lei de Moisés, que o Senhor tinha ordenado a Israel.
E Esdras, o sacerdote, trouxe a Lei perante a congregação, assim de homens como de mulheres e de todos os sábios para ouvirem, no primeiro dia do sétimo mês.
E leu nela, diante da praça, que está diante da Porta das àguas, desde a alva até ao meio-dia, perante homens, e mulheres, e sábios; e os ouvidos de todo o povo estavam atentos ao Livro da Lei.

(Neemias 8:1-3)


Liam distintamente no Livro da Lei de Deus, e explicavam o sentido, de maneira que pudesse compreender a leitura.

(Neemias 8:8)


E acharam escrito na Lei que o Senhor ordenara pelo ministério de Moisés que os filhos de Israel habitassem em cabanas, na solenidade da Festa, no sétimo mês.
Assim, o publicaram e fizeram passar pregão por todas as cidades e em Jerusalém, dizendo: "Saí ao monte e trazei ramos de oliveira, e ramos de palmeiras, e ramos de árvores espessas, para fazer cabanas, como está escrito."
Então o povo foi e trouxe ramos. E construíram as cabanas nos terraços de suas casas, nos pátios, nos átrios do Templo, e na Praça da Porta das Águas, e na praça da porta de Efraim.
E toda a congregação dos que voltaram do cativeiro fez cabanas e habitou nas cabanas; ora os filhos de Israel não tinha feito assim desde o tempo de Josué, filho de Num, até aquele dia. A alegria foi extraordinária.
Todos os dias, do primeiro ao último, Esdras leu o Livro da Lei de Deus. Celebraram a Festa durante sete dias, e, no oitavo dia, houve uma assembléia solene para encerramento, segundo prescrevia o rito.

(Neemias 8:14-18)


Todos os que restarem de todas as nações que vierem contra Jerusalém irão todos os anos adorar o Rei, o Senhor dos Exércitos, e celebrar a Festa dos Tabernáculos.
Toda e qualquer família da Terra que não subir a Jerusalém para adorar o Rei, Senhor dos Exércitos, não receberá chuva!
Se a família do Egito não subir nem vier, não haverá chuva para ela, mas será ferida com a praga com que o Senhor ferirá todas as nações que não subirem a Jerusalém para celebrar a Festa dos Tabernáculos.
Este será o castigo do Egito, como também de toda nação que não subir para celebrar a Festa dos Tabernáculos.

(Zacarias 14:16-19)



JESUS NA FESTA DOS TABERNÁCULOS



Depois disto percorria Jesus a Galiléia, e não queria andar pela Judéia, porque os Judeus procuravam matá-lo.
E estava próxima a festa dos Judeus chamada de Festa dos Tabernáculos.
Disseram-lhe, pois, os seus irmãos: “Parte daqui, e vai para a Judéia, para que também os teus discípulos vejam as obras que tu fazes.
Porque ninguém faz uma coisa às ocultas se quer ser conhecido. Já que fazes tais coisas, mostra-te ao mundo."
Na verdade, nem mesmo seus irmãos acreditavam nele.
Jesus disse-lhes então: “O meu tempo ainda não chegou, mas para vós o tempo é sempre oportuno.
O mundo não pode odiar-vos, mas odeia-me a mim, porque faço ver que as suas obras são más.
Subi vós à festa. Eu não subo a essa festa, porque o meu tempo ainda não chegou.”
E tendo-lhes dito isto, ficou na Galiléia.
Todavia quando partiram os seus irmãos, foi ele também à festa, não a descoberto, mas ocultamente.
Ora, os judeus procuravam-no na festa e diziam: "Onde está ele?"
E havia um grande rumor entre o povo acerca dele. Uns diziam: "É um homem de bem." Outros, porém, diziam: "Não é, antes engana o povo."
Entretanto, ninguém falava abertamente dele, por medo dos judeus.
Ora, estando já em meio os dias da festa, foi Jesus ao Templo e ensinava.
Os judeus admiravam-se, dizendo: "Como é que ele conhece as Escrituras sem ter estudado?"
Jesus respondeu-lhes e disse: "A minha doutrina não é minha, mas daquele que me enviou.
Se alguém quiser fazer a vontade de Meu Pai, conhecerá se a minha doutrina vem de Deus, ou se falo de mim mesmo.
Quem fala de si mesmo busca a sua própria glória, mas o que busca a glória daquele que o enviou, esse é verdadeiro, e não há nele injustiça.
Não foi Moisés que vos deu a Lei? Nenhum de vós, porém, cumpre a Lei! Por que procurais matar-me?"

(João 7:1-19)


E, no último dia. O grande dia da Festa, Jesus pôs-se em pé e clamou, dizendo: "Se alguém tem sede, que venha a mim e beba.
Quem crê em mim, como diz a Escritura, rios de água viva correrão do seu ventre."
E isso disse ele do Espírito, que haveriam de receber os que nele cressem; porque o Espírito Santo ainda não fora dado, por ainda Jesus não ter sido glorificado.
Por isso, muitos da multidão, tendo ouvido tais palavras, diziam: "Este é verdadeiramente o Profeta."

(João 7:37-40) Jesus


No oitavo dia da festa, o último dia, era concluída a leitura da Torah (os cinco primeiros livros da Bíblia) e eles recomeçam a leitura como um ciclo anual, também neste dia eles faziam uma prece especial pedindo chuva a Deus.

(M. Freire)


FESTA DA DEDIDAÇÃO (Chanuká)



Judas e seus irmãos disseram então: "Eis que nossos inimigos estão aniquilados; subamos agora a purificar e consagrar de novo os lugares santos."
Reunido todo o exército, subiram à montanha de Sião.
Contemplaram a desolação dos lugares santos, o altar profanado, as portas queimadas, os átrios cheios de arbustos que tinham nascido como num bosque ou sobre as colinas, os aposentos demolidos.
Rasgando suas vestes, eles se lamentaram muito e cobriram as cabeças com cinza,
prostraram-se com o rosto por terra, tocaram as trombetas e ergueram clamores ao céu.
Então Judas encarregou alguns homens de combater os soldados da cidadela, enquanto purificavam o templo.
Escolheu sacerdotes sem mancha e zelosos pela Lei,
os quais purificaram o templo, transportando para um lugar impuro as pedras contaminadas.
Consultaram-se entre si, o que se deveria fazer do altar dos holocaustos, que havia sido profanado,
e tomaram a excelente resolução de demoli-lo, para que não recaísse sobre eles o opróbrio vindo da mancha dos gentios. Destruíram-no, portanto,
e transportaram suas pedras a um lugar conveniente sobre a montanha do Templo, aguardando a decisão de algum profeta a esse respeito.
Tomaram pedras intactas, segundo a Lei, e construíram um novo altar, semelhante ao primeiro.
Restauraram também o Templo e o interior do Templo e purificaram os átrios.
Fizeram novos vasos sagrados e transportaram ao santuário o candeeiro, o altar dos perfumes, e a mesa.
Queimaram incenso no altar, acenderam as lâmpadas do candeeiro, para alumiarem o Templo,
colocaram pães sobre a mesa e suspenderam os véus, terminando completamente seu trabalho.
No dia vinte e cinco do nono mês, isto é, do mês de Casleu, do ano cento e quarenta e oito, eles se levantaram muito cedo,
e ofereceram um sacrifício legal sobre o novo altar dos holocautos, que haviam construído.
Foi no mesmo dia e na mesma data em que os gentios o haviam profanado, que o altar foi de novo consagrado ao som de cânticos, das harpas, das liras e dos címbalos.
Todo o povo se prostrou com o rosto em terra para adorar e bendizer no céu aquele que os havia conduzido ao triunfo.
Prolongaram por oito dias a dedicação do altar, oferecendo com alegria holocaustos e sacrifícios de ações de graças e de louvores.
Adornaram a fachada do Templo com coroas de ouro e com pequenos escudos, consagraram as entradas do Templo e os quartos, nos quais colocaram portas.
Reinou uma alegria imensa entre o povo e o opróbrio das nações foi afastado.
Foi estabelecido por Judas e seus irmãos, e por toda a assembléia de Israel que os dias da dedicação do altar seriam celebrados cada ano em sua data própria, durante oito dias, a partir do dia vinte e cinco do mês de Casleu, e isto com alegria e regozijo.
Na mesma época cercaram a montanha de Sião com uma alta muralha com fortes torres, para que não fosse mais possível às nações pisá-la aos pés, como outrora.

(1Macabeus 4:36-60)


Celebrava-se em Jerusalém a Festa da Dedicação, e era tempo de inverno.
E Jesus passeava no Templo, no alpendre de Salomão.
Rodearam-no os judeus e disseram-lhe: "Até quando nos deixarás em dúvida? Se tu és o Cristo, dize-nos abertamente."
Jesus respondeu-lhes: "Eu vo-lo digo, mas não credes. As obras que faço em nome de Meu Pai, estas dão testemunho de mim.
Vós porém não credes porque não sois das minhas ovelhas.
As minhas ovelhas ouvem a minha voz, eu as conheço e elas me seguem.
Eu lhes dou a vida eterna, e elas não morrerão jamais, e ninguém as poderá tirar de minhas mãos.
Meu Pai, que as confiou a mim, é maior do que todos, e ninguém as pode tirar das mãos de Meu Pai.
Eu e o Pai somos um."

(João 10:22-30)



A Fé >>
Menu Principal
<< O Espírito Consolador e o Espírito da Verdade

^