JOÃO BATISTA E ELIAS


  • João Batista preparou o caminho da primeira vinda de Jesus
  • Jesus não recebe testemunho de homem
  • As obras de Jesus dão testemunho de que Deus o enviou
  • Elias volta para preparar a segunda volta de Jesus - a Palavra de Deus



Existiu no tempo de Herodes, rei da Judéia, um sacerdote, chamado Zacarias, da ordem de Abias, e cuja mulher era das filhas de Arão, o nome dela era Isabel.
Eram ambos justos diante de Deus, cumprindo irrepreensivelmente todos os Mandamentos e preceitos do Senhor.
Não tinham filhos, porque Isabel era estéril, e os dois já eram de idade avançada.
Ora, estando Zacarias no exercício das funções sacerdotais diante de Deus, na ordem da sua turma,
coube-lhe, segundo o costume sacerdotal, entrar no santuário do Senhor para queimar o incenso.
Todo o povo estava na parte de fora em oração, à hora do incenso.
Então apareceu a Zacarias um anjo do Senhor. Estava de pé, à direita do altar do incenso.
Zacarias ao vê-lo, ficou perturbado e o temor o assaltou.
Mas o anjo disse-lhe: "Não temas, Zacarias, porque foi ouvida a tua oração; tua mulher Isabel te dará um filho, ao qual porás o nome de João;
ele será uma alegria para ti e uma exultação, e muitos hão de rejubilar-se com o seu nascimento.
Será grande aos olhos do Senhor e não beberá vinho nem bebida alcoólica; será cheio do Espírito Santo já desde o ventre de sua mãe.
E converterá muitos dos filhos de Israel ao Senhor, seu Deus,
e irá adiante dele no espírito e virtude de Elias, para converter o coração dos pais aos filhos e os rebeldes, à prudência dos justos, com o fim de preparar ao Senhor um povo bem disposto."
Zacarias perguntou ao anjo: "Donde terei certeza disto? Pois sou velho e minha mulher é de idade avançada."
Respondendo o anjo, disse-lhe: "Eu sou Gabriel, que assisto diante de Deus, fui enviado para te falar e te dar esta boa-nova.
Eis que ficarás mudo e não poderás falar, até o dia em que tais coisas se cumprirem, porque não acreditaste nas Minhas Palavras, que hão de cumprir-se a seu tempo."
No entanto, o povo estava esperando Zacarias; e admirava-se dele se demorar tanto tempo no Santuário.
Quando saiu, não podia falar, e eles compreenderam que ele tinha tido uma visão no Santuário. Zacarias falava com sinais e continuava mudo.
Depois que terminou seus dias de serviço no Santuário, Zacarias voltou para casa.
Após algum tempo, sua mulher Isabel concebeu, e se manteve oculta por cinco meses, dizendo:
"Assim me fez o Senhor, nos dias em que atentou em mim, para destruir o meu opróbrio entre os homens."
E, no sexto mês; foi o anjo Gabriel enviado por Deus a uma cidade da Galiléia, chamada Nazaré,
a uma virgem desposada com um varão cujo nome era José, da casa de Davi; e o nome da virgem era Maria.
Entrando pois o anjo onde ela se achava, disse-lhe: "Deus te salve, cheia de graça. O Senhor é contigo. Bendita és tu entre as mulheres."
Perturbou-se ela com estas Palavras e pôs-se a pensar no que significaria semelhante saudação.
Disse-lhe, então o anjo: "Maria, não temas, porque achaste graça diante de Deus,
eis que conceberás no teu ventre, e darás à luz um filho, a quem porás o nome de Jesus.
Este será grande e será chamado Filho do Altíssimo; e o Senhor Deus lhe dará o trono de Davi, seu pai,
e reinará eternamente na casa de Jacó, e o seu Reino não terá fim."
Disse, porém, Maria ao anjo: "Como se fará isto, se não vivo com nenhum homem?"
E, respondendo o anjo, disse-lhe: "Descerá sobre ti o Espírito Santo, e a virtude do Altíssimo te cobrirá com a sua sombra; pelo que também o Santo, que de ti há de nascer, será chamado Filho de Deus.
Eis que tua parenta Isabel, na sua velhice, também ela concebeu um filho, e este é já o sexto mês daquela que era chamada estéril.
Porque para Deus nada é impossível."
Então disse Maria: "Eis aqui a serva do Senhor. Faça-se em mim segundo a tua Palavra." E o anjo afastou-se dela.
Por aqueles dias, Maria se pôs a caminho e dirigiu-se às pressas para a montanha, a uma cidade de Judá,
e entrou em casa de Zacarias, e saudou a Isabel.
Aconteceu que, apenas Isabel ouviu a saudação de Maria, o menino saltou no seu ventre e Isabel ficou cheia do Espírito Santo.
Exclamou ela em alta voz e disse: "Bendita és tu entre as mulheres e bendito é o fruto do teu ventre.
E de onde me provém isso a mim, que venha visitar-me a mãe do meu Senhor?
Porque, logo que a voz da tua saudação chegou aos meus ouvidos, o menino saltou de alegria no meu ventre.
Bem aventurada a que acreditou, porque se hão de cumprir as coisas que da parte do Senhor te foram ditas."

(Lucas 1:5-45)


Completou-se para Isabel o tempo de dar à luz e deu à luz um filho.
E os seus vizinhos e parentes ouviram que tinha Deus usado para com ela de grande misericórdia e alegraram-se com ela.
E aconteceu que ao oitavo dia vieram circuncidar o menino, e lhe queriam dar o nome de seu pai Zacarias.
A mãe, porém, disse: "Não! Ele vai se chamar João."
Disseram-lhe: "Ninguém há na tua geração que tenha este nome."
Então fizeram sinais ao pai, perguntando como ele queria que o menino se chamasse.
E, pedindo ele uma tabuinha de escrever, escreveu, dizendo: "O seu nome é João." E todos ficaram admirados.
Nesse instante sua boca se desembaraçou e com língua desenvolta falava, louvando a Deus.
E veio temor sobre todos os seus vizinhos, e em todas as montanhas da Judéia foram divulgadas todas essas coisas.
E todos os que as ouviam a conservavam em seu coração, dizendo: "Quem será, pois, este menino?" E a mão do Senhor estava com ele.
Zacarias, seu pai, ficou repleto do Espírito Santo, e profetizou dizendo:
"Bendito seja o Senhor, Deus de Israel, porque visitou e resgatou o seu povo,
suscitou-nos um Salvador poderoso na casa de seu servo Davi,
segundo o que ele tinha prometido por boca dos santos profetas que viveram nos século passados
para nos livrar dos nossos inimigos e das mãos de todos os que nos aborrecem
para exercer a sua misericórdia a favor de nossos pais e lembrar-se da sua Santa Aliança,
do juramento que fez a Abraão, nosso pai,
de nos conceder que, sem temor, libertos das mãos dos inimigos,
o sirvamos em santidade e justiça na sua presença, em todos os nossos dias.
E tu, ó menino, serás chamado profeta do Altíssimo, porque hás de ir ante a face do Senhor, a preparar os seus caminhos,
para dar ao seu povo conhecimento da salvação, o perdão dos pecados.
Graças ao coração misericordioso do nosso Deus, devido ao qual nos visitará a luz do alto.
Para iluminar os que vivem nas trevas e na sombra da morte; para guiar nossos passos no caminho da paz."
Ora, o menino crescia e se fortificava no espírito; e habitava nos desertos, até o dia em que se manifestou a Israel.

(Lucas 1:57-80)


No ano décimo quinto do império de Tibério César, sendo Pôncio Pilatos governador da Judéia, e Herodes tetrarca da Galiléia, e seu irmão Filipe tetrarca da Ituréia e da província de Traconítide; e Lisânias tetrarca da Abilínia;
sendo sumos sacerdotes Anás e Caifás; revelou-se a Palavra do Senhor no deserto, a João, filho de Zacarias.
E percorreu toda a terra ao redor do Jordão, pregando o Batismo de arrependimento, para o perdão dos pecados,
segundo o que está escrito no livro das palavras do profeta Isaías, que diz: "Voz do que clama no deserto: Preparai o caminho do Senhor; endireitai as suas veredas.
Todo o vale será aterrado, todo monte e colina serão rebaixados, os caminhos tortuosos serão endireitados, os ásperos, aplainados,
e todo o homem verá a salvação de Deus."

Dizia, pois, João à multidão que saía para ser batizada por ele: "Raça de víboras, quem vos ensinou a fugir da ira que está para vir?
Produzi, pois, frutos dignos de arrependimento e não comeceis a dizer em vós mesmos: Temos Abraão por pai, porque eu vos digo que até destas pedras pode Deus suscitar filhos a Abraão.
E também já está posto o machado à raiz das árvores; toda árvore, pois, que não dá bom fruto é cortada e lançada no fogo."
E a multidão o interrogava, dizendo: "Que faremos, pois?"
Respondendo dizia-lhes: "Quem tem duas túnicas, dê uma a quem não tem. E quem tem alimentos, faça o mesmo."
E chegaram também uns publicanos, para serem batizados, e disseram-lhe: "Mestre, que devemos fazer?"
E ele lhes disse: "Não peçais mais do que aquilo que vos está ordenado."
Interrogavam-no também os soldados, dizendo: "E nós que faremos?" Ele disse-lhes: "Não façais violência a ninguém, nem denuncieis falsamente e contentai-vos com o vosso soldo."
Ora, como o povo estivesse na expectativa, e como todos perguntassem em seus corações se talvez João fosse o Cristo;
respondeu João a todos, dizendo: “Eu, na verdade, batizo-vos com água, mas eis que vem aquele que é mais poderoso do que eu, a quem eu não sou digno de desatar a correia das sandálias; este vos batizará com o Espírito Santo e com fogo."

(Lucas 3:1-16)


E este é o testemunho de João, quando os judeus mandaram de Jerusalém sacerdotes e levitas para que lhe perguntassem: "Quem és tu?"
Ele confessou a verdade e não a negou; e confessou: "Eu não sou o Cristo."
Eles perguntaram-lhe: "Quem és pois? És tu Elias?" Ele respondeu: "Não sou!" "És tu o profeta?" Respondeu: "Não."
Disseram-lhe então: "Quem és tu, enfim, para que demos uma resposta àqueles que nos enviaram? Que dizes de ti mesmo?"
Disse-lhes ele: "Eu sou a voz do que clama no deserto: Endireitai o caminho do Senhor, como disse o profeta Isaías."
Ora os que tinham sido enviados eram fariseus.
Interrogaram-no, dizendo: "Como batizas, pois, se não és o Cristo, nem Elias, nem o profeta?"
João respondeu-lhes, dizendo: "Eu batizo em água, mas no meio de vós está quem vós não conheceis.
Este é o que há de vir depois de mim, no qual eu não sou digno de desatar a correia das sandálias."
Essas coisas aconteceram em Bêtania, do outro lado do Jordão, onde João estava batizando.
No dia seguinte, viu João a Jesus, que vinha ter com ele e disse: "Eis o Cordeiro de Deus, eis o que tira o pecado do mundo.
Este é o mesmo de quem eu disse: Depois de mim vem um homem que existiu antes de mim, pois que era antes de mim.
Eu não o conhecia; mas para que ele fosse manifestado a Israel, vim eu, por isso, batizando com água."
E João deu testemunho, dizendo: "Eu vi o Espírito descer do céu em forma de pomba, e repousar sobre ele.
E eu não o conhecia, mas o que me mandou batizar com água, esse me disse: Sobre aquele que vires descer o Espírito e sobre ele repousar, esse é o que batiza com o Espírito Santo.
Vi com os meus olhos, e sou testemunha de que ele é o Filho de Deus."

(João 1:19-34)


Houve um homem enviado de Deus, cujo nome era João.
Este veio como testemunha, para dar testemunho da luz, a fim de que todos cressem por meio dele.
Ele não era a luz, mas veio para dar testemunho da luz.

(João 1:6-8)


Ele tem a pá na sua mão, e limpará a sua eira, e ajuntará o trigo no seu celeiro, mas queimará a palha com o fogo que nunca se apaga.
E com estas e muitas exortações anunciava ao povo a Boa Nova.
Porém Herodes tetrarca, sendo repreendido por ele por causa de Herodíades, mulher de seu irmão, e por causa de todos os males que tinha feito,
acrescentou a todos este: Mandar lançar João num cárcere.
E aconteceu que, como todo o povo se batizava, sendo batizado também Jesus, orando ele, o céu se abriu,
e o Espírito Santo desceu sobre ele em forma corpórea, como uma pomba; e ouviu-se uma voz do céu, que dizia: "TU ÉS MEU FILHO AMADO; EM TI ME TENHO COMPRAZIDO."

(Lucas 3:17-22)


... e o nome pelo qual se chama é a PALAVRA DE DEUS.

(Apocalipse 19:13b)


Quem crê no Filho de Deus tem em si mesmo o testemunho de Deus. Quem não crê em Deus faz dele um mentiroso, porque não crê no testemunho que Deus deu de Seu Filho.
E o testemunho é este: que Deus nos deu a vida eterna; e esta vida está em Seu Filho.
Quem tem o Filho tem a vida; quem não tem o Filho de Deus não tem a vida.
Estas coisas vos escrevi, para que saibais que tendes a vida eterna e para que creais no NOME DO FILHO DE DEUS.

(1João 5:10-13) João Evangelista


E aconteceu que, acabando JESUS de dar instruções aos seus doze discípulos, partiu dali a ensinar e a pregar nas cidades deles.
Como João, estando no cárcere, tivesse ouvido falar das obras de Cristo, enviou dois de seus discípulos,
com esta pergunta: "És tu aquele que há de vir ou devemos esperar outro?"
E Jesus, respondendo, disse-lhe: "Ide e anunciai a João as coisas que ouvis e vedes:
Os cegos vêem e os coxos andam, os leprosos ficam limpos e os surdos ouvem, os mortos ressuscitam e a Boa Nova é anunciada aos pobres.
E bem aventurado aquele que não encontrar em mim motivo de escândalo."

E quando eles se foram, começou Jesus a falar de João às multidões: "Que saístes a ver no deserto? Um caniço agitado pelo vento?
Sim, que fostes ver? Um homem ricamente vestido? Os que trajam ricamente estão nas casas dos reis.
Mas, então, que fostes ver? Um profeta? Sim, vos digo eu, e muito mais do que profeta;
porque é este de quem está escrito: Eis que adiante da tua face envio o meu anjo, que preparará diante de ti o teu caminho.
Na verdade eu vos digo que entre os nascidos de mulheres não se levantou maior que João Batista; e no entanto, o que é menor no Reino dos Céus, é maior do que ele.

(Mateus 11:1-11)


Dizia-lhes também: “Em verdade vos digo, dos que aqui estão, alguns há que não provarão a morte sem que vejam chegado o Reino de Deus com poder.”
Seis dias depois, Jesus tomou consigo Pedro, Tiago e João, e os levou sozinhos a um monte alto e afastado. E transfigurou-se diante deles.
E as suas vestes tornaram-se resplandecentes, em extremo brancas como a neve, tais como nenhum lavadeiro sobre a Terra as poderia branquear.
E lhes apareceu Elias com Moisés a falar com Jesus.
Pedro tomou então a palavra e disse a Jesus: “Mestre, é bom estarmos aqui! Façamos três tendas: uma para ti, outra para Moisés e outra para Elias."
Porque não sabia o que dizer, tão grande era o pavor que os dominava.
E desceu uma nuvem que os cobriu com a sua sombra, e saiu da nuvem uma voz, que dizia: “Este é Meu Filho amado; a ele ouvi."

(Marcos 9:1-7)


Se eu dou testemunho de mim mesmo, meu testemunho não vale.
Mas há outro que dá testemunho de mim, e eu sei que o testemunho que ele dá de mim é válido.
Vós enviastes mensageiros a João, e ele deu testemunho da verdade.
Eu, porém, não recebo testemunho de homem, mas digo isso, para que vos salveis.
João era uma lâmpada que estava acesa e iluminava. E vós quisestes alegrar-vos por um pouco de tempo com a sua luz.
Mas eu tenho um testemunho maior que o de João, pois as obras que o Pai me deu para consumar, essas mesmas obras que faço, atestam, a meu respeito, que o Pai me enviou.
E o Pai me enviou, ele mesmo deu testemunho de mim. Vós nunca ouvistes a sua voz nem vistes a sua face.
E a sua Palavra não permanece em vós, porque naquele que ele enviou não credes vós.
Vós examinais as Escrituras, na convicção de terdes nela a vida eterna. E são precisamente elas que dão testemunho de mim.
Mas vocês não querem vir a mim para terem vida.
Não é dos homens que recebo a glória.
Mas eu vos conheço: não tendes em vós o amor de Deus.
Eu vim em nome de Meu Pai, e não me recebeis. Se outro vier em seu próprio nome, o recebereis.
Como podeis vós crer, recebendo honra uns dos outros e não buscando a honra que vem só de Deus?
Não julgueis que sou eu que vos hei de acusar diante do Pai; Moisés, em que vós confiais, é que vos acusa.
Porque, se vós crêsseis em Moisés, creríeis em mim, porque de mim escreveu ele.
Mas, se não credes nos seus escritos, como crereis nas Minhas Palavras?

(João 5:31-47)


Ouvindo isso, os discípulos caíram de bruços por terra, e tiveram grande pavor.
Porém Jesus aproximou-se deles, tocou-os e disse-lhes: “Levantai-vos e não temais.”
E, erguendo os olhos, apenas viram Jesus e mais ninguém.
E, descendo eles do monte, Jesus lhes ordenou, dizendo: “A ninguém conteis a visão até que o Filho do Homem seja ressuscitado dos mortos.”
Os discípulos o interrogaram, dizendo: “Por que dizem pois os escribas que Elias deve vir primeiro?”
E Jesus, respondendo, disse-lhes: “Em verdade Elias virá primeiro e restaurará todas as coisas.

Mas digo-vos que Elias já veio, e não o conheceram, mas fizeram-lhe tudo o que quiseram. Assim farão eles também padecer o Filho do Homem.”
Os discípulos compreenderam, então, que ele lhes falava de João Batista.

(Mateus 17:6-13)


Eis que eu enviarei o meu anjo, que vá adiante de ti, e te guarde pelo caminho, e te introduza no lugar que preparei.
Respeita-o, ouve a sua voz, e vê que o não desprezes; porque ele não te perdoará, se pecares, e o Meu Nome estará nele.
Mas se diligentemente ouvires a sua voz e fizeres tudo o que eu disser, então serei inimigo dos teus inimigos e adversário dos teus adversários.
O meu anjo caminhará adiante de ti, e te introduzirá na terra dos amorreus, dos heteus, dos ferezeus, dos cananeus, dos heveus e dos jebuseus, os quais eu exterminarei.
Não adorarás os seus deuses, nem os servirás; não farás o que eles fazem mas destruí-lo-ás, e quebrarás as suas estátuas.

(Êxodo 23:20-24)


Desde os dias de João Batista até agora, o Reino do Céu sofre violência, e são os violentos que o arrebatam.
Porque todos os profetas e a Lei profetizaram até João.
E, se quereis dar crédito, é este o Elias que havia de vir.
Quem tem ouvidos para ouvir ouça.

(Mateus 11:12-15)


Celebrava-se em Jerusalém a Festa da Dedicação, e era tempo de inverno.
E Jesus passeava no Templo, no alpendre de Salomão.
Rodearam-no os judeus e disseram-lhe: "Até quando nos deixarás em dúvida? Se tu és o Cristo, dize-nos abertamente."
Jesus respondeu-lhes: "Eu vo-lo digo, mas não credes. As obras que faço em nome de Meu Pai, estas dão testemunho de mim.
Vós porém não credes porque não sois das minhas ovelhas.
As minhas ovelhas ouvem a minha voz, eu as conheço e elas me seguem.
Eu lhes dou a vida eterna, e elas não morrerão jamais, e ninguém as poderá tirar de minhas mãos.
Meu Pai, que as confiou a mim, é maior do que todos, e ninguém as pode tirar das mãos de Meu Pai.
Eu e o Pai somos um."
Os judeus pegaram, então, outra vez, em pedras para o apedrejar.
Jesus disse-lhes: "Tenho vos mostrado obras boas procedentes de Meu Pai; por qual destas obras me apedrejais?"
Os judeus responderam, dizendo-lhe: "Não te apedrejamos por alguma obra boa, mas pela blasfêmia, porque, sendo tu homem, te fazes Deus a ti mesmo."
Replicou-lhes Jesus: "Não está escrito na vossa Lei: Eu disse:Vós sois deuses?
Ninguém pode anular a Escritura. Ora, a Lei chama de deuses as pessoas para as quais a Palavra de Deus foi dirigida.
Como dizeis que blasfemo, a mim que o Pai santificou e enviou ao mundo, porque disse que sou Filho de Deus?
Se não faço as obras de Meu Pai, não acreditais em mim,
se, porém, as faço, ainda que não queirais acreditar em mim, acreditai nas obras, a fim de conhecerdes e crerdes que o Pai está em mim, e eu estou no Pai."

Procuravam, pois, prendê-lo outra vez, mas ele escapou de suas mãos.
E retirou-se de novo para além do Jordão, no lugar onde antes João batizava, e aí deixou-se ficar.
E muitos iam ter com ele e diziam: "Na verdade, João não fez sinal algum, mas tudo quanto João disse deste era verdade."
E muitos nesse lugar acreditaram nele.

(João 10:22-42)


Mas que coisa direi eu que é igual esta geração? É semelhante aos rapazes que estão sentados na praça, e que gritam aos seus companheiros,
e dizem: "Tocamos flauta para vós, e não dançastes. Cantamos canções tristes e não chorastes."
Porque veio João Batista, que não comia nem bebia; e dizem: Ele tem demônio.
Veio o Filho do Homem, que come e bebe; e dizem: Eis aí um homem comilão e beberrão, amigo de publicanos e pecadores. Mas a sabedoria foi justificada pelas suas obras."
Então, começou ele a lançar em rosto às cidades onde se operou a maior parte dos seus prodígios o não haverem arrependido, dizendo:
"Ai de ti, Corazim! Ai de ti, Betsaida! Porque, se em Tiro e em Sidom fossem feitos os prodígios que em vós se fizeram, há muito que se teriam arrependido com pano de saco grosseiro e com cinza.
Por isso, eu vos digo que haverá menos rigor para Tiro e Sidom, no Dia do Juízo, do que para vós.
E tu Cafarnaum, por acaso serás elevada até o céu? Até o inferno descerás! Porque, se em Sodoma se tivessem operado os prodígios que se realizaram em ti, até hoje estaria de pé.
Pois bem, na verdade vos digo que para a terra de Sodoma haverá menos rigor, no Dia do Juízo, do que para ti.
Nesse tempo, Jesus tomou a palavra e disse: "Eu te glorifico, ó Pai, Senhor do céu e da Terra, por manteres ocultas essas coisas para sábios e entendidos, e as revelaste aos pequeninos!
Assim é, ó Pai, porque assim foi do teu agrado."

(Mateus 11:16-26)



Mas a Sabedoria foi Justificada pelas suas Obras >>
Menu Principal

^