O PROFETA JONAS


  • Jonas foge para escapar à ordem do Senhor
  • Deus manda um peixe engolir Jonas
  • Jonas esperava que Deus destruísse Nínive
  • Os samaritanos não recebem Jesus
  • Jesus veio para nos salvar
  • Jesus aguarda a conversão dos últimos tempos
  • O sinal do profeta Jonas



A Palavra do Senhor foi dirigida a Jonas, filho de Amitai, nestes termos:
“Levanta-te, vai a Nínive, a grande cidade, e profere contra ela os teus oráculos, porque sua iniquidade chegou até a minha presença.”
Jonas pôs-se a caminho na direção de Társis, para fugir do Senhor. Desceu a Jope, onde encontrou um navio que partia para Társis; pagou a passagem e embarcou nele para ir com os demais passageiros para Társis, longe da face do Senhor.
O Senhor, porém, fez vir sobre o mar um vento impetuoso e levantou no mar uma tempestade tão grande que a embarcação ameaçava espedaçar-se.
Então os marinheiros temeram, cada um clamou ao seu deus e alijaram ao mar toda a carga que traziam no navio para o aliviarem. Entretanto Jonas tinha descido ao porão do navio, onde dormia um profundo sono.
E o mestre do navio chegou-se a ele e disse-lhe: “Que tens, dormente? Levanta-te, invoca o teu Deus; talvez assim Deus se lembre de nós para que não pereçamos.”
E dizia cada um ao seu companheiro. “Vinde, e lancemos sortes, para que saibamos por que causa nos sobreveio este mal.” E lançaram sortes, e a sorte caiu sobre Jonas.
Então lhe disseram: “Declara-nos tu, agora, por que razão nos sobreveio este mal. Que ocupação é a tua? E donde vens? Qual é a tua terra? E de que povo és tu?”
E ele lhes disse: “Eu sou hebreu e temo ao Senhor, o Deus do céu, que fez o mar e a terra seca.”
Ficaram então aqueles homens possuídos de grande temor, e disseram-lhe: “Por que fizeste isto?” Pois tinham compreendido, pela própria declaração de Jonas, que este fugia para escapar à ordem do Senhor.
Eles, pois, disseram-lhe: “Que havemos de fazer, para que o mar cesse de se levantar contra nós?” Porque o mar se elevava e embravecia cada vez mais.
E ele lhes disse: “Levantai-me e lançai-me ao mar, e o mar se aquietará; porque eu sei que, por minha causa, vos sobreveio esta grande tempestade.”
Entretanto, os homens remavam, esforçando-se por alcançar a terra, mas não podiam, porquanto o mar se ia embravecendo cada vez mais contra eles.
Então invocaram o Senhor: “Senhor, disseram eles, não nos façais perecer por causa da vida deste homem, nem nos torneis responsáveis pela vida deste homem que não nos fez mal algum. Vós, ó Senhor, fizeste como foi do vosso agrado.”
E, pegando em Jonas, lançaram-no às ondas, e a fúria do mar se acalmou.
Temeram, pois, estes homens ao Senhor com grande temor; e ofereceram sacrifícios ao Senhor e fizeram votos.

(Jonas 1:1-16)


Ao mesmo tempo o Senhor preparou um grande peixe que engoliu Jonas, o qual esteve no ventre do peixe três dias e três noites.
Jonas fez oração ao seu Deus do ventre do peixe,
e disse: “Na minha angústia, clamei ao Senhor, e ele me respondeu; do ventre do inferno gritei, e tu ouviste a minha voz.
Lançaste-me no abismo, no meio das águas e as ondas me envolviam. Todas as suas vagas e todas as vossas ondas passavam sobre mim.
Eu já dizia: fui rejeitado de diante de vossos olhos. Acaso me será dado ainda rever vosso Santo Templo?!
As águas me cercaram até a vida; o abismo encerrou-me em si, o mar cobriu-me a cabeça.
Desci até às raízes dos montes; os ferrolhos da terra encerraram-me para sempre; tu, contudo, Senhor Deus meu, preservarás a minha vida de corrupção.
Quando em mim se angustiava a minha alma, lembrei-me do Senhor, para que a minha oração chegue a ti, subindo até ao teu Santo Templo.
Os que servem a ídolos vãos abandonam a fonte das graças.
Eu, porém, te oferecerei sacrifícios com cânticos de louvor; cumprirei todos os votos que fiz ao Senhor pela minha salvação.”
Então o Senhor ordenou ao peixe, e este vomitou Jonas na praia.

(Jonas 2:1-11)


A Palavra do Senhor foi dirigida pela segunda vez a Jonas nestes termos:
“Levanta-te e vai à grande cidade de Nínive e prega nela a pregação que eu te ordeno.”
E levantou-se Jonas e foi a Nínive, segundo a Palavra do Senhor; era, pois Nínive uma grande cidade, de três dias de caminho.
Jonas foi pela cidade durante todo um dia, pregando: “Daqui a quarenta dias Nínive será destruída.”
E os homens de Nínive creram em Deus, e proclamaram um jejum, e vestiram-se de panos de saco, desde o maior até ao menor.
A notícia chegou ao conhecimento do rei de Nínive; ele levantou-se do seu trono, tirou o manto, cobriu-se de saco e sentou-se sobre a cinza.
Depois fez clamar por toda a parte a publicar em Nínive esta ordem, como vinda da boca do rei e da dos seus príncipes dizendo: “Os homens e os animais, os bois e as ovelhas não comam nada, não sejam levados a pastar, nem bebam água.
E os homens e os animais cubram-se de saco, clamem aqueles ao Senhor com toda a sua força, cada um se converta do seu mau caminho e da iniqüidade que há nas suas mãos.
Quem sabe se Deus se voltará para nos perdoar e se aplacará o furor da sua ira, de sorte que não pereçamos?”
Deus viu as suas obras e como se converteram do seu mau caminho; compadeceu-se deles, e não lhes fez o mal que tinha resolvido fazer-lhes, e, com efeito, não lho fez.

(Jonas 3:1-10)


JONAS ESPERAVA QUE DEUS DESTRUÍSSE NÍNIVE




Jonas ficou muito desgostoso e despeitado.
Orou ao Senhor e disse: "Rogo-te, Senhor, se porventura não é isto o de que eu me receava, quando ainda estava na minha terra? Por isto é que eu me preveni com o expediente de fugir para Társis; porque sei que és um Deus clemente e misericordioso, paciente e cheio de compaixão, e que perdoas os pecados.
Peço-te, pois, ó Senhor, tira-me a minha vida, porque melhor me é morrer do que viver."
O Senhor disse-lhe: "Julgas que tens razão para te afligires?"
Então, Jonas saiu da cidade, e assentou-se ao oriente da cidade, e ali fez uma cabana, e se assentou debaixo dela, à sombra, até ver o que aconteceria à cidade.
E fez o Senhor Deus nascer uma aboboreira, que subiu por cima de Jonas, para que fizesse sombra sobre a sua cabeça, a fim de o livrar do seu enfado; e Jonas se alegrou em extremo por causa da aboboreira.
Mas Deus enviou um bicho, no dia seguinte, ao subir da alva, o qual feriu a aboboreira, e esta se secou.
Quando o sol apareceu, o Senhor mandou um vento quente e abrasador; deram os raios do sol na cabeça a Jonas, que o abrasava, e ele desejou a morte e disse: "Melhor me é morrer do que viver."
O Senhor disse a Jonas: "Fazes bem em te irritares por causa de uma planta?" Jonas respondeu: "Sim, tenho razão de me irar até a morte."
E disse o Senhor: "Tiveste compaixão da aboboreira, na qual não trabalhaste, nem a fizeste crescer; que, em uma noite, nasceu e, em uma noite, pereceu;
Então, eu não hei de perdoar à grande cidade de Nínive, onde há mais de cento e vinte mil pessoas, que não sabem discernir entre a sua mão direita e a sua mão esquerda, e um grande número de animais?"

(Jonas 4:1-11)



JESUS AGUARDA A CONVERSÃO DOS ÚLTIMOS TEMPOS




Sucedeu que, estando para completar-se os dias em que devia ser levado deste mundo, ele tomou a resolução de encaminhar-se para Jerusalém.
Enviou diante de si mensageiros, os quais entraram numa aldeia de samaritanos para lhe prepararem pousada.
E não o receberam, por ele dar mostra de que ia a Jerusalém.
E os discípulos Tiago e João, vendo isso, disseram: "Senhor, queres que digamos que desça fogo do céu e os consuma, como Elias também fez?"
Porém Jesus, voltando-se para eles, repreendeu-os dizendo: "Não sabeis de que espírito sois.
Porque o Filho do Homem não veio para destruir as almas dos homens, mas para salvá-las." E foram para outra aldeia.

(Lucas 9:51-56)


Nesse mesmo tempo chegaram alguns dando-lhe notícia de vários galileus, cujo sangue Pilatos misturara com os seus sacrifícios.
E, respondendo Jesus, disse-lhes: "Cuidais vós que esses galileus foram mais pecadores de que todos os galileus, por terem padecido tais coisas?
Não, vos digo; antes, se vos não arrependerdes, todos de igual modo perecereis.
E aqueles dezoito sobre os quais caiu a torre de Siloé e os matou, cuidais que foram mais culpados do que todos quantos homens habitam em Jerusalém?
Não, vos digo; antes, se vós não arrependerdes, todos de igual modo perecereis."
Então Jesus contou esta parábola: "Certo homem tinha uma figueira plantada no meio da vinha. Foi até lá procurar figos, e não encontrou.
Pelo que disse ao que cultivava a vinha: Eis que há três anos venho buscar fruto a esta figueira e não o encontro; corta-a; para que ela está ocupando terreno inutilmente?
Mas ele respondeu: Senhor, deixa-a ainda este ano, para que eu possa escavar a terra em volta e colocar adubo.
Se com isso der fruto, bem está; se não, virás cortá-la depois."

(Lucas 13:1-9)


E, ajuntando-se a multidão, começou a dizer: "Maligna é esta geração; ela pede um sinal e não lhe será dado outro sinal, senão o sinal do profeta Jonas.
Porquanto assim como Jonas foi sinal para os ninivitas, assim o Filho do Homem o será também para esta geração.

A rainha do Sul se levantará no Dia do Juízo com os homens desta geração e os condenará; pois até dos confins da Terra veio ouvir a sabedoria de Salomão; e eis aqui quem é maior do que Salomão.
Os homens de Nínive se levantarão no Dia do Juízo com esta geração e a condenarão; pois se converteram com a pregação de Jonas; e eis aqui está quem é maior do que Jonas."

(Lucas 11:29-32) Jesus


... um povo que não conheci me servirá.
Gente estranha me serve abnegadamente e me obedece à primeira intimação.

(Salmos 17:44b-45(18:43b-44)



Menu Principal
<< A Palavra

^