POIS SEMPRE TEREIS CONVOSCO OS POBRES...
(João 12:8a) Jesus


  • Se a Lei fosse cumprida não haveria desigualdade social
  • Dar esmolas
  • Bondade com os pobres
  • Compaixão para com os infelizes
  • A caridade apaga os pecados



O rico e o pobre se encontraram; a todos os fez o Senhor.

(Provérbios 22:2) Salomão


O Senhor falou a Moisés no Monte Sinai, dizendo:
"Diga aos filhos de Israel:Quando vocês entrarem na terra que eu lhes dou, a terra deverá consagrar a Javé o seu Sábado.
Durante seis anos você semeará os campos e, durante seis anos, você podará as vinhas e recolherá as colheitas.
Mas o sétimo ano será um solene descanso para a terra, o descanso de Javé: você não semeará o campo, nem podará a vinha,
não ceifará as espigas, que não serão reunidas em feixes; nem colherá as uvas das vinhas, que não serão podadas. Será um ano de descanso para a terra.
O descanso da terra servirá de alimento para você, para seu escravo, sua escrava, seu empregado, seu hóspede, e para todos aqueles que moram com você.
Todo o produto da terra servirá de pastagem para seu gado e para os animais selvagens.
Conte sete semanas de anos, isto é, sete vezes sete anos; tais semanas de anos darão um período de quarenta e nove anos.
No dia dez do sétimo mês você fará soar a trombeta. No Dia da Expiação vocês façam soar a trombeta no país inteiro.
Declarem santo o quinquagésimo ano e proclamem a libertação para todos os moradores do país. Será para vocês um ano de júbilo: cada um de vocês recuperará a sua propriedade e voltará para a sua família.
O quinquagésimo ano será para vocês um ano de júbilo: vocês não semearão, nem ceifarão as espigas que tiverem nascido espontaneamente, nem colherão uvas das videiras não podadas.
O Jubileu será uma coisa sagrada, e vocês comerão o que o campo produzir.
Nesse ano de júbilo cada um recuperará a sua propriedade.
Quando vocês fizerem operações de compra e venda com alguém do seu povo, não explorem uns aos outros.
O que você comprar de alguém do seu povo, será avaliado conforme o número de anos decorridos depois do Jubileu. E aquele, por sua vez, cobrará de você conforme o número dos anos de colheita:
Quanto maior o número de anos, mais alto será o preço; quanto menor o número de anos, menor será o preço, porque ele cobra de você conforme o número de colheitas.
Ninguém de vocês explore o irmão, mas tema o Deus de vocês, porque eu sou Javé, o Deus de vocês.
Cumpram meus estatutos e normas, colocando-os em prática. Desse modo, vocês viverão tranquilos na Terra.
A terra dará o seu fruto, e vocês comerão até saciar-se, e viverão tranquilos.
Vocês poderão perguntar: O que vamos comer no sétimo ano, se não semearmos nem fizermos colheita?
Eu lhes mandarei a minha bênção no sexto ano, e a terra produzirá colheita para os três anos.
Quando vocês semearem no oitavo ano, poderão ainda comer dos produtos antigos até o nono ano. E enquanto não vierem os produtos do nono ano, vocês comerão os produtos antigos.
A terra não poderá ser vendida para sempre, porque a terra me pertence, e vocês são para mim imigrantes e hóspedes.
Por isso, em qualquer terra que vocês possuírem, concedam o direito de resgatar a terra.
Se um irmão seu cai na miséria e precisa vender algo do patrimônio próprio, o parente mais próximo dele, que tem o direito de resgate, irá até ele e resgatará aquilo que o irmão tiver vendido.
Quem não tiver ninguém para exercer esse direito, e desde que haja encontrado recursos para fazer o resgate,
descontará os anos que passaram desde a venda e pagará ao comprador o que falta, recuperando assim a propriedade.
Se não tiver meios para realizar o resgate, a propriedade vendida permanecerá até o ano do Jubileu em poder do comprador. No Jubileu, o comprador liberará a propriedade, para que esta volte ao seu próprio dono.
Quem vender uma casa de moradia numa cidade com muralhas, terá o direito de resgate até o final do ano da venda. Seu direito de resgate durará um ano.
Se o resgate não for feito no final de um ano, a casa na cidade com muralhas será propriedade daquele que a comprou e dos seus descendentes, para sempre: não será liberada no Jubileu.
As casas de aldeias sem muralhas serão consideradas como os campos. Essas casas terão direito de resgate, e o comprador deverá liberá-las no Jubileu.
Quanto às cidades de levitas, estes terão direito perpétuo de resgatar as casas das cidades que pertençam a eles.
Se não forem resgatadas, ficarão liberadas no ano do Jubileu, porque as casas das cidades de levitas pertencem a eles entre os filhos de Israel.
Os campos pertencentes a essas cidades não poderão ser vendidos, pois são propriedades dos levitas para sempre.
Se um irmão seu cai na miséria e não tem meios de se manter, você o sustentará, para que viva com você como imigrante ou hóspede.
Não cobre dele juros nem ágio. Tema a Deus. E que seu irmão viva com você.
Não empreste dinheiro para ele a juros, nem lhe cobre ágio sobre o alimento.

Eu sou Javé, o Deus de vocês, que os tirei do Egito para lhes dar a terra de Canaã e ser o Deus de vocês.
Se um irmão seu cai na miséria e se vende a você, não o faça trabalhar como escravo:
que ele viva com você como assalariado ou hóspede. Trabalhará com você até o ano do Jubileu,
e então ele e seus filhos ficarão livres para voltar à própria família e recuperar a propriedade paterna.
Eles são meus servos, que eu tirei do Egito, e não podem ser vendidos como escravos.
Não o trate com dureza. Tema o seu Deus.
Os escravos e escravas de vocês deverão ser comprados dentre as nações que estão ao redor; delas vocês poderão adquirir escravos e escravas.
Também poderão comprá-los entre os filhos de imigrantes que residem no meio de vocês, entre as famílias deles que estão junto de vocês, entre os filhos que eles tiverem no país. Serão propriedade de vocês.
Vocês poderão deixá-los como herança aos filhos que vierem depois de vocês; e poderão sempre servir-se deles como escravos. Quanto aos irmãos de vocês, os filhos de Israel, ninguém poderá exercer domínio sobre eles.
Se o imigrante ou hóspede que vive com você ficar rico, e o seu irmão, que vive junto dele, cair na miséria e se vender ao imigrante, hóspede ou descendente da família do imigrante,
mesmo depois de vendido terá direito a resgate. Será resgatado por um de seus irmãos,
ou por seu tio paterno, por seu primo, por qualquer um dos membros da sua família, ou poderá resgatar a si mesmo, se conseguir recursos para isso.
Calculará, com o comprador, os anos desde a venda até o ano do Jubileu, e o preço corresponderá ao número de anos, contando-se os dias como para um assalariado.
Se faltarem ainda muitos anos, pagará o valor do seu resgate em razão desses anos e em proporção ao preço pelo qual foi comprado.
Se faltarem poucos anos para chegar o Jubileu, fará o cálculo com o seu comprador, e pagará o preço do seu resgate em razão desses anos.
Permanecerá com seu comprador como um assalariado contratado por ano, e o patrão não deverá tratá-lo com dureza.
Se não for resgatado em nenhum desses modos, ele e seus filhos ficarão livres no ano do Jubileu.
Isso porque os filhos de Israel são meus servos: são servos meus que tirei do Egito. Eu sou Javé, o Deus de vocês.

(Levítico 25)


E a PALAVRA se fez homem e habitou entre nós...

(João 1:14a)


Durante o dia JESUS ensinava no Templo e, à tarde, saía para passar a noite no Monte chamado das Oliveiras.
E todo o povo ia de manhã cedo ter com ele, no Templo, para ouvi-lo.

(Lucas 21:37-38)


Estava, pois, perto a Festa dos Pães Asmos, chamada de Páscoa.
Os príncipes dos sacerdotes e os escribas procuravam modo de matar Jesus; porém temiam o povo.
Entrou, porém, Satanás em Judas, que tinha por sobrenome Iscariotes, o qual era do número dos doze.
Judas foi procurar os príncipes dos sacerdotes e os oficiais para se entender com eles sobre o modo de lho entregar,
os quais se alegraram e convieram em lhe dar dinheiro.
Ele concordou. E procurava ocasião propícia de o entregar longe do povo.
Chegou, porém, o dia da Festa dos Pães Asmos, em que era preciso imolar o cordeiro;
e Jesus enviou Pedro e João, dizendo: "Ide preparar-nos o necessário para comermos o cordeiro pascal!"
Perguntaram-lhe: "Onde queres que o preparemos?"
E ele lhes disse: "Eis que quando entrardes na cidade, encontrareis um homem levando um cântaro de água; segui-o à casa em que ele entrar.
E dizei ao dono da casa: O Mestre manda-te dizer: Onde é a sala em que hei de comer o cordeiro pascal com os meus discípulos?
Ele vos mostrará uma grande sala toda ornada; preparai aí o necessário."
Foram, pois, e acharam tudo como Jesus lhes dissera; e preparam a Páscoa.
Chegada que foi a hora, Jesus pôs-se à mesa, e com ele os apóstolos.
Disse-lhes: "Tenho ardentemente desejado comer convosco esta Páscoa, antes de padecer.
Pois vos digo: não tornarei a comê-la, até que ela se cumpra no Reino de Deus."
E, tomando o cálice e havendo dado graças, disse: "Tomai e reparti entre vós,
porque vos digo que já não beberei do fruto da vide, até que venha o Reino de Deus."
E tomando o pão e havendo dado graças, partiu-o e deu-lho, dizendo: "Isto é o meu corpo, que por vós é dado; fazei isso em memória de mim."
Do mesmo modo tomou também o cálice, depois de cear, dizendo: "Este cálice é a Nova Aliança em Meu Nome, que é derramado por vós."

(Lucas 22:1-20)


... e o nome pelo qual se chama é a Palavra de Deus.

(Apocalipse 19:13b)


E havia em Cesaréia um varão por nome Cornélio, centurião da coorte chamada Italiana.
Piedoso e temente a Deus, com toda a sua casa, o qual dava muitas esmolas ao povo e orava a Deus assiduamente.
Teve uma visão, cerca da hora nona do dia, e viu, distintamente, o anjo de Deus entrar, aproximar-se dele e dizer-lhe: "Cornélio!"
Ele, fixando os olhos no anjo, possuído de temor, disse: "Que é isto, Senhor?" ele respondeu-lhe: "As tuas orações e as tuas esmolas subiram como um memorial à presença de Deus."

(Atos 10:1-4)


Não descuides de orar nem de dar esmola.

(Eclesiástico 7:10)


E não vos esqueçais de praticar boas obras, e de repartir dos vossos bens com os outros. Porque com tais ofertas é que Deus se torna propício.

(Hebreus 13:16)


... e a paciência do que usa de misericórdia não tardará em ser recompensada.
Todo aquele que dá esmola terá uma recompensa conforme o mérito de suas obras e a sabedoria de seu comportamento.

(Eclesiástico 16:14b-15)


Se houver no meio de ti um pobre entre os teus irmãos, em uma de tuas cidades, na terra que te dá o Senhor, teu Deus, não endurecerás o teu coração e não fecharás a mão diante de teu irmão pobre,
antes, lhe abrirás de todo a tua mão e livremente lhe emprestarás o que lhe falta, quanto baste para a sua necessidade.
Cuida que não te venha ao coração este ímpio pensamento: "Eis que se aproxima o sétimo ano, o ano da remissão;" guarda-te de olhar o teu irmão pobre com um mau olho, sem nada lhe dar porque ele clamaria ao Senhor contra ti, e isso se te tornaria um pecado.
Livremente darás, e que o teu coração não seja maligno, quando lhe deres; pois por esta causa te abençoará o Senhor, teu Deus, em toda a tua obra e em tudo no que puseres a tua mão.
Nunca faltarão pobres na Terra, e por isto dou-te esta ordem: Abre a tua mão ao teu irmão necessitado ou pobre que vive em tua terra.

(Deuteronômio 15:7-11)


Quando acabares de dizimar todos os dízimos da tua novidade, no ano terceiro, que é o ano dos dízimos, então, a darás ao levita, ao estrangeiro, ao órfão e à viúva, para que comam dentro das tuas portas e se fartem.
Dirás na presença do Senhor, teu Deus: Eu tirei da minha casa o que te é consagrado e dei-o ao levita, ao estrangeiro, ao órfão e à viúva, como me ordenaste. Não transgredi nem omiti nenhum dos Vossos Mandamentos.

(Deuteronômio 26:12-13)


Estava Jesus falando, quando um fariseu o convidou para almoçar com ele. Entrando, se pôs à mesa.
Ora o fariseu estranhou que ele não se tivesse lavado antes de comer.
O Senhor disse-lhe: "Vós, os fariseus, limpais o exterior do copo e do prato, mas o vosso interior está cheio de roubo e de maldade.
Néscios,
quem fez tudo o que está de fora, não fez também o que está por dentro?
Dai, antes, esmola do que tiverdes, e eis que tudo vos será limpo.
Mas ai de vós, fariseus, que pagais o dízimo da hortelã e da arruda, e de toda a casta de ervas, e que desprezais a justiça e o amor de Deus. Estas coisas, importava praticásseis, sem omitirdes aquelas.
Ai de vós, fariseus, que amais os primeiros assentos nas sinagogas e as saudações nas praças!
Ai de vós, porque sois como sepulcros que não aparecem, e os homens que caminham por cima nem os percebem."
Um doutor da Lei tomou a palavra e disse-lhe: "Mestre, falando assim, também a nós nos insultas."
Mas ele respondeu: "Ai de vós também, doutores da Lei, porque carregais os homens com fardos difíceis de levar e nem sequer com o dedo tocais nesses fardos.
Ai de vós, que edificais sepulcros aos profetas, quando vossos pais foram os que lhes deram a morte.
Por certo dais a conhecer que aprovais as obras de vossos pais, porque eles na verdade os mataram e vós edificais os seus sepulcros.
Por isso também disse a sabedoria de Deus: Mandar-lhes-eis profetas e apóstolos, e eles darão a morte a uns e perseguirão a outros;
a fim de que se peça contas a esta geração do sangue de todos os profetas, derramado desde a criação do mundo;
desde o sangue de Abel até o sangue de Zacarias, que foi morto entre o altar e o santuário. Sim, digo vos eu, serão pedidas contas a esta geração.
Ai de vós doutores da Lei, porque vos apoderastes da chave da ciência: Vós próprios não entrastes e impedistes a entrada àqueles que queriam entrar."
E como ele lhes dissesse estas coisas, começaram os fariseus e doutores da Lei a apertá-lo com perguntas e a impedir-lhe a palavra com a multidão de questões, a que o obrigavam a responder,
armando-lhe ciladas, e buscando algumas palavras da sua boca, para o acusarem.

(Lucas 11:37-54)


Lavai-vos, purificai-vos, tirai de diante dos meus olhos a malícia dos vossos pensamentos, cessai de fazer o mal,
aprendei a fazer o bem, procurai o que é justo, socorrei o oprimido, fazei justiça ao órfão, defendei a viúva.
Vinde, então, e argui-me, diz o Senhor; ainda que os vossos pecados sejam como a escarlata, eles se tornarão brancos como a neve; ainda que sejam vermelhos como o carmesim se tornarão como a branca lã.

Se quiserdes, e ouvirdes, comereis o bem desta Terra.
Mas, se recusardes e fordes rebeldes, sereis devorados à espada, porque a boca do Senhor o disse.

(Isaías 1:16-20)


A água apaga o fogo, e a esmola apaga os pecados.
Quem retribui com o bem armazena para o futuro, e no tempo de sua queda encontrará apoio.

(Eclesiástico 3:33-34)


E dizia também ao que o tinha convidado: "Quando deres um jantar ou uma ceia, não chames os teus amigos, nem os teus irmãos, nem os teus parentes, nem vizinhos ricos, para que não suceda que também eles te tornem a convidar, e te seja isso recompensado.
Mas, quando deres algum banquete, convida os pobres, os aleijados, os coxos e os cegos;
e serás bem aventurado, porque esses não têm com que te retribuir. Mas ser-te-á isso retribuído na ressurreição dos justos."
Tendo ouvido estas coisas um dos que estavam à mesa, disse-lhe: "Bem aventurado o que participar do banquete no Reino de Deus."
Ele, porém, disse-lhe: "Certo homem deu um grande banquete, para o qual tinha convidado muitos.
Na hora do banquete, mandou o seu servo dizer aos convidados: vinde, que tudo já está preparado!
Mas todos, unanimemente começaram a esquivar-se. O primeiro disse: Comprei um terreno e preciso ir vê-lo; peço que me dispenses.
O outro disse: Comprei cinco juntas de bois, e vou experimentá-los; por favor considera-me desculpado.
E outro disse: Casai-me e, por isso, não posso ir.
Voltando o servo, referiu estas coisas ao seu Senhor. Então, irado o pai de família, disse ao seu servo: Vai já pelas praças e pelas ruas da cidade; traze aqui os pobres, aleijados, cegos e coxos.
E disse o servo: Senhor, está feito como mandaste e ainda há lugar.
O Senhor ordenou: Sai pelos caminhos e atalhos e obriga a todos a entrar, para que se encha a minha casa.
Porque eu vos digo que nenhum daqueles homens que foram convidados, provará da minha ceia."

(Lucas 14:12-24)


Erguendo os olhos para os discípulos, pôs-se a dizer: "Bem aventurados vós, os pobres, porque vosso é o Reino de Deus.
Bem aventurados vós, que agora tendes fome, porque sereis fartos. Bem aventurados vós, que agora chorais, porque haveis de rir."

(Lucas 6:20-21) Jesus


Porque não estará para sempre esquecido o pobre; nem a paciência dos infelizes será para sempre frustrada.

(Salmos 9:18(19) Davi


Mas ai de vós ricos! Porque já tendes a vossa consolação.
Ai de vós, os que estais fartos, porque tereis fome! Ai de vós, os que agora rides, porque vos lamentareis e chorareis!

(Lucas 6:24-25) Jesus


Assim fala o Senhor dos Exércitos: Julgai segundo a verdadeira justiça; cada um de vós tenha bom coração e seja compassivo para com o seu irmão.
Não oprimais a viúva nem o órfão, nem o estrangeiro, nem o pobre, e não trameis em vossos corações maus desígnios uns contra os outros.
Porém eles não quiseram atender, antes se retiraram, voltando-me as costas, e taparam os seus ouvidos para não ouvirem.
Sim, fizeram o seu coração duro como diamante, para que não ouvissem a Lei, nem as Palavras que o Senhor dos Exércitos enviaram pelo seu Espírito, mediante os profetas precedentes; donde veio a grande ira do Senhor dos Exércitos.
E dissesse: "Como eu chamei e eles não escutaram, agora também eles podem gritar que eu não escutarei."

(Zacarias 7:9-13)


Quem fecha o ouvido ao clamor do pobre, esse mesmo também clamará e não será ouvido.

(Provérbios 21:13) Salomão


O povo pobre, sobretudo as mulheres, começaram a protestar fortemente contra seus irmãos judeus.
Uns diziam: "Fomos obrigados a vender os nossos filhos e filhas para comprar trigo, e assim comer e não morrer de fome."
Outros diziam: "Passamos tanta fome que precisamos hipotecar nossos campos, vinhas e casas para conseguir trigo."
Outros diziam: "Tivemos que pedir dinheiro emprestado, penhorando nosssos campos e vinhas, para podermos pagar os impostos ao rei.
E, no entanto, somos da mesma raça que nossos irmãos; nossos filhos não são diferente dos deles; e eis que foi preciso escravizar nossos filhos e filhas; mesmo agora, entre nossas filhas, há algumas que já são escravas. E nada podemos fazer, porque nossos campos e nossas vinhas passaram já à mão de outros."
Fiquei indignado ao ouvir essas queixas e o que estava acontecendo.
Depois de ter refletido, censurei as pessoas importantes e os magistrados: "Por que, lhes disse eu, cobrais usuras de vossos irmãos?" Convoquei então por causa deles uma grande assembléia,
e disse-lhes: "Nós, como sabeis; segundo as nossas posses, resgatamos os judeus nossos irmãos, que tinham sido vendidos aos gentios; e vós vendereis agora vossos irmãos, para que nós o tenhamos de resgatar?" Eles ficaram em silêncio e não souberam que me responder.
Eu continuei: "O que estais fazendo não é correto! Não devíeis caminhar no temor ao Nosso Deus, para que as nações inimigas não caçoem de nós?
Devolvei-lhes desde já seus campos, suas vinhas, suas oliveiras e suas casas, bem como a porcentagem de prata, de trigo, de vinho e de azeite que exigistes deles como juros."
Responderam eles: "Devolveremos tudo, e nada mais lhes pediremos; faremos tudo o que dizes." Chamei então os sacerdotes, e os fiz jurar que procederiam assim.
Depois, sacudi a dobra do meu manto, e disse: "Que Deus sacuda para fora de sua própria casa e de seus bens todo aquele que não mantiver sua palavra. Será sacudido e despojado." Toda a assembléia respondeu: "Amém!" e louvou a Javé. E eles cumpriram o que haviam prometido.
Desde o dia em que o rei me nomeou governador do país de Judá, isto é, do vigésimo ao trigésimo segundo ano do rei Artaxerxes, por doze anos, eu e meus irmãos jamais comemos às custas do cargo.
Os governadores anteriores exploravam o povo, exigindo diariamente quatrocentos gramas de prata para alimento e vinho. E até seus subordinados se aproveitavam do povo. Eu, por temor de Deus, não fiz nada disso.
Eu mesmo colaborei no trabalho de reparação das muralhas. Não compramos campo algum, e meus servos puseram-se todos a trabalhar.
A minha mesa comiam cento e cinquenta, entre pessoas importantes e chefes, além de outras pessoas dos povos vizinhos que nos vinham visitar.
Para isto todos os dias me era preparado um boi e seis carneiros escolhidos, além das aves e de dez em dez dias eu distribuía vinhos diversos e muitas outras coisas e, além disso, não cobrei as rendas do meu cargo de governador; porque o povo estava extremamente empobrecido.
Lembra-te de mim, Deus meu, para usares comigo de misericórdia, à medida de todo o bem que eu fiz a este povo.

(Neemias 5)


Portanto, ó rei, aceita o meu conselho e desfaze os teus pecados pela justiça e as tuas inquidades, usando de misericórdia para com os pobres, e talvez se prolongue a tua tranquilidade.

(Daniel 4:27) Daniel


Abre a tua boca, julga retamente e faze justiça aos pobres e aos necessitados.

(Provérbios 31:9) Salomão


Fazei justiça ao humilde e ao órfão; atendei à razão do aflito e do pobre.
Libertem o fraco e o indigente, e os livrem da mão dos injustos.

(Salmos (81)82:3-4)


Informa-se o justo da causa dos pobres, o ímpio a ignora.

(Provérbios 29:7) Salomão



Página 2 >>
Menu
Menu Principal
<< Para que Jesus Ressuscitou o Mendigo Lázaro?

^